27 março, 2012

13 de Março - O Olhar - Parte Final

“Sejam honestos e corretos e tratem uns aos outros com bondade e compaixão” Zacarias 7:9
(Continuação de ontem) “Eu já vivi muito e acho que conheço as pessoas muito bem.” Parou por um instante e continuou: “Olhei nos olhos dos outros que passaram e vi que eles não se condoeram da minha situação. Seria inútil pedir-lhes ajuda. Mas, quando olhei nos seus olhos, ficaram claras sua bondade e compaixão. A vida  me ensinou a reconhecer os espíritos bondosos e dispostos a ajudar os outros na hora da necessidade”. Essas palavras tocaram profundamente o coração do cavaleiro: “Fico agradecido pelo que o senhor falou”, disse ao velho. “Espero nunca ficar tão ocupado com meus próprios problemas que deixe de corresponder às necessidades dos outros com bondade e compaixão”. Falando isso, Thomas Jefferson (Presidente dos Estados Unidos de 1801 à 1809) virou seu cavalo e voltou para a Casa Branca...” (As Sementes do Semeador).
Reflexão Dirigida:
1) Será que estamos tão ocupados a ponto de não “ver” a dor alheia?
2) Que em nossos olhos possa ser encontrado bondade e generosidade.
3) Ter compaixão pelos que sofrem é refletir o amor de Deus na terra.

12 de Março - O Olhar - Parte II

“Quando vocês fizeram isso ao mais humilde dos meus irmãos, foi a mim que fizeram” Jesus (Mateus 25:40)
(Continuação de ontem) “É claro. Pode montar”. Vendo que o velho não conseguia levantar o corpo semicongelado do chão, ajudou-o a montar e não só atravessou o rio com o velho, mas o levou ao seu destino, algumas milhas adiante. Quando se aproximavam da casa pequena, mas aconchegante, curioso, o cavaleiro perguntou: “Eu percebi que o senhor deixou vários outros cavaleiros passarem sem fazer qualquer gesto para pedir ajuda na travessia. Então eu apareci e o senhor imediatamente me pediu para levá-lo. Eu gostaria de saber por que, numa noite fria de inverno, o senhor pediu o favor ao último a passar. E se eu tivesse recusado e o deixado na beira do rio?”  O velho apeou o cavalo devagar. Olhou o cavaleiro bem nos olhos e respondeu...” continua

9 de Março - O Olhar - Parte I

“Lembrem dos que sofrem, como se vocês estivessem sofrendo com eles” Hebres 13:3
“Era uma tarde de tempo feio e frio em uma cidade dos Estados Unidos, há muitos anos. A barba do velho estava coberta de gelo e ele esperava alguém para ajudá-lo a atravessar o rio. A espera parecia não ter fim. O vento cortante tornava seu corpo dormente e enrijecido. Ele ouviu o ritmo fraco e ritmado dos cascos de cavalos a galope sobre o chão congelado. Ansioso, observou quando vários cavaleiros apareceram na curva. Ele deixou o primeiro passar, sem procurar chamar sua atenção. Então veio outro e mais outro. Finalmente, o último cavaleiro se aproximou do lugar onde o velho estava parado como uma estátua de gelo. Depois de observá-lo rapidamente, o velho lhe acenou, perguntando: “ O senhor poderia levar este velho para o outro lado? Parece não haver uma trilha para eu seguir a pé”. O cavaleiro parou o cavalo e respondeu... “ continua

8 de Março - É Possível Recomeçar...

“No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” Jesus (João 16:33)
O laboratório de Thomas Edison, físico americano que inventou o telégrafo, a lâmpada incandescente e o fonógrafo, foi totalmente destruído pelo fogo em dezembro de 1914. Apesar dos prejuízos ultrapassarem 2 milhões de dólares, o prédio estava segurado em apenas 238 mil dólares, porque era de concreto, que se imaginava à prova de fogo. Muito do trabalho de Edison se foi com as chamas impressionantes daquela noite de dezembro. No auge do fogo, seu filho Charles de 24 anos, procurava freneticamente pelo pai em meio a fumaça e aos destroços. Finalmente o achou, calmamente observando a cena, com ar de reflexão. “Meu coração doeu por ele“, contou Charles. Era um homem de 67 anos que via tudo o que possuía se consumir nas chamas. Na manhã seguinte, olhando para as ruínas, Thomas Edison, refletiu: “Todos os meus erros foram queimados. Graças à Deus, posso recomeçar do zero”. Três semanas depois do incêndio, ele inventou o fonógrafo.
Reflexão Dirigida:
1) Muitas vezes perdemos hoje para ganhar amanhã.
2) Com Deus é possível recomeçar sempre que necessário.
3) Mantenhamos a fé, confiantes que depois da tempestade virá a bonança

7 de Março - Celebrar

“Agradeçamos a Deus que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo” 1 Coríntios 15:57
“Quando me olho no espelho, vejo uma sobrevivente. Quanto mais eu deixo o câncer no passado, mais me permito ter esperança e sonhar. Meu corpo voltou ao que era antes, mas minha alma alcançou outras esferas, o plano maravilhoso dos sobreviventes. Eu agora celebro, o cabelo despenteado, o gosto da manteiga no pão quentinho; a doce limonada que sobe pelo canudinho. Agora eu celebro as nuvens rosas do poente, o aconchego do meu cobertor; até mesmo o barulho do trânsito. Eu agora celebro crianças que choram, gritam e brigam; a música que vibra e o cão que late. Eu celebro os planos, o sonho, a esperança que nasce do futuro possível” Karen Klosterman. É possível que tenhamos uma lista de razões para nos lamentar. Entretanto, todos nós, também temos uma outra lista repleta de razões para celebrar. Qual das duas listas temos escolhido olhar?
Reflexão Dirigida:
1) Você  valoriza as pequenas coisas da vida?
2) Cultivar a sabedoria é  agradecer mais e reclamar menos.
3) Ao invés de ficar olhando para o que não deu certo, celebre suas vitórias.