29 fevereiro, 2012

15 de Fevereiro - Consciência - Parte II

“Faço tudo para sempre ter a consciência limpa diante de Deus e das pessoas” Atos 24:16
(continuação...) Em sua defesa, Sousa Mendes disse: “Desejo mais estar com Deus contra o homem, do que com o homem contra Deus”. Ele e seus familiares não conseguiram emprego e foram perseguidos pelo governo. Sousa Mendes morreu miserável e só foi reabilitado em seu país 34 anos depois, em 1988. Será que ele se arrependeu de sua escolha? Conforme seu neto, Sousa Mendes viveu em paz de consciência, apesar de todas as injustiças que sofreu. No museu Yad Vashem, em Jerusalém, há uma árvore plantada em sua honra e também uma medalha com a inscrição: “Quem salva uma vida, salva a Humanidade”. A decisão de Sousa Mendes representou o fim de sua carreira diplomática e o início de muitos problemas para sua família, mas os milhares de vistos concedidos valeram as vidas que ele pode salvar do holocausto. (Pão Diário).
Reflexão Dirigida:
1) Para você quanto vale ter a consciência tranquila?
2) Nenhum sacrifício que fazemos em prol do outro é em vão.
3) Deus sempre nos inspira a agir de forma a abençoar pessoas.

14 de Fevereiro - Consciência - Parte I

“Conserva a sua fé e mantenha a sua consciência limpa” 1 Timóteo 1:19
Aristides de Sousa Mendes era cônsul de Portugal na França em 1940. Um dia conheceu um rabino (judeu) que queria um visto para emigrar com sua família para Portugal, pois disse ao cônsul que a vida de todos os judeus estava em risco, pois o nazismo avançava. Entretanto, o governo português decidiu que não podiam ser concedidos vistos a refugiados sem consulta prévia. E agora, a quem Sousa Mendes obedeceria? Ao governo de seu país a quem representava, ou à sua consciência? Em 16 de junho decidiu conceder vistos sem distinção de nacionalidade, raça ou religião. “Só agindo dessa forma, seguindo a minha consciência, serei digno da minha fé de cristão”, disse. Em poucos dias estima-se que ele concedeu 30 mil vistos! Foi delatado e perdeu seu cargo. Em 30 de junho, os nazistas chegaram àquela cidade... (continua amanhã)

28 fevereiro, 2012

13 de Fevereiro - Dependentes de Amor

“Deus diz: Procurarei as ovelhas perdidas, farei curativo nas machucadas e tratarei das doentes” Ezequiel 34:16
“D.A.S.A – Dependentes de Amor e Sexo Anônimos”  é uma irmandade de ajuda mútua, fundada em Boston em 1976. Baseia-se  em um programa de recuperação adaptado dos 12 passos de Alcóolicos Anônimos. Entre seus membros se encontram pessoas  que experimentam uma necessidade compulsiva de sexo, como aqueles com um apego desesperado a uma única pessoa. São pessoas que vivem relações destrutivas uma atrás da outra, possuindo um padrão de comportamento obsessivo/compulsivo, seja, sexual ou emocional, ou ambos. Tais relações afetam diretamente carreiras, vida familiar e o conceito de amor próprio. Através de reuniões semanais  em que os membros compartilham suas experiências, com aqueles que enfrentam as mesmas dificuldades, o programa de D.A.S.A  tem colaborado para que muitos encontrem a esperança e sigam pela caminho da recuperação.
Reflexão Dirigida:
1) Não sofra sozinho(a) procure um grupo anônimo de ajuda mútua.
2) Deus caminha conosco na jornada de nossa recuperação.
3) Endereço Reuniões:  www.slaa.org.br/

24 fevereiro, 2012

10 de Fevereiro - Ascenda a Luz...

“Deus é luz e não há Nele trevas nenhuma” 1 João 1:7
Um homem aproximou-se de um cristão e lhe disse: “Vocês, cristãos, receberam uma lavagem cerebral!” O outro pensou um pouco e respondeu, com muito amor: “Até certo ponto, é verdade. Só que fomos nós quem decidimos com que queríamos que os nossos cérebros fossem lavados”. Todos nós escolhemos qual o caminho desejamos seguir nesse mundo. A luz nos convida a pensar, esperar e agir pelo melhor. Muitos entretanto, vivem mergulhados nas trevas da indiferença emocional; cultivando um egoísmo mesquinho e cheio de vaidades. Espalham a escuridão por onde passam e envenenam o ambiente, com  palavras e atitudes. É preciso sim, confrontarmos nossos pensamentos e fazermos uma lavagem cerebral constantemente, pois os pensamentos geram nossas emoções e definem nossas ações. Podemos escolher não ser mais um na escuridão, e sim, aquele que ascende a luz.
Reflexão Dirigida:
1) O que tem povoado seus pensamentos?
2) Que a sua presença traga luz aonde você chegar!
3) Com o socorro de Deus podemos transformar pensamentos e sentimentos

22 fevereiro, 2012

9 de Fevereiro - Peso Emocional

“E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas” Apocalipse 21:5
Atletas profissionais em geral precisam estar em constante preparo para suas competições. Assim que terminam uma corrida ou um campeonato, logo começam a se preparar para os novos desafios. Embora possamos não ser atletas profissionais, todos nós estamos envolvidos numa grande corrida, que é a corrida da vida, e enfrentamos novos desafios todos os dias. Os atletas não correm com pedras nos bolsos e nem carregam peso desnecessário.  E quanto a nós? Temos carregado peso desnecessário ao longo de nossa vida? Como está nossa bagagem emocional? Cheia de tristeza, dores antigas e mágoas? É tempo de esvaziarmos as malas do nosso coração e aliviarmos nossa bagagem emocional, pois assim será mais fácil caminharmos em direção à realização de nossos sonhos.
Reflexão Dirigida:
1) O que você tem carregado em sua bagagem emocional?
2) Quanto mais leve estiver nossa bagagem mais longe conseguimos chegar!
3) Deus cura nosso interior e nos ensina a não cultivar dores e mágoas.

18 fevereiro, 2012

8 de Fevereiro - Brotos ou Raízes?

“Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz” Mateus 13:6
No mundo das árvores, algo essencial para a sobrevivência é ter mais raízes do que brotos. Em um de seus livros, William Bryant Logan diz: “Se uma árvore expressa muito crescimento na sua parte externa, e poucas raízes, terá a tendência de ter uma madeira fraca de vida curta... Todavia, se uma árvore tem uma grande porção de raízes e acrescenta os brotos lentamente, a tendência será de ter uma vida mais prolongada e ser mais resistente aos rigores do tempo e do peso”. Raízes na verdade não são encantadoras, mas são a fonte de nossa força, que nos sustentam em tempos difíceis. Raízes formadas por valores morais e éticos inegociáveis, alimentados por uma vida sincera de relacionamento com Deus, nos dão condições de vencermos os inesperados desafios do caminho e resistirmos às tempestades das adversidades.
Reflexão Dirigida:
1) Quão profundas são as suas raízes?
2) A cada adversidade vencida nos tornamos mais fortes.
3) Todos os dias escolhemos investir ou não em nosso relacionamento com Deus.

08 fevereiro, 2012

7 de Fevereiro - Comparações... - Parte II

“Entrega o teu caminho a Deus, confia Nele e Ele o  fará” Salmo 37:5
(Continuação de ontem...) Justamente por isso, é preciso tomar consciência de que o que realmente importa é seguir nosso próprio movimento interior e realizar da melhor maneira possível nossa vocação. Alan nunca desejara dedicar sua vida a uma empresa, e o que ganhava como assistente social era suficiente para suprir suas necessidades. Ele sentia um gosto enorme em ajudar as pessoas, e era isso o que fazia. Sua inveja da vida de Ken dissipou-se quando ele pensou nos rostos sorridentes das famílias que ajudava todos os dias. Às vezes olhamos para o que as outras pessoas têm e queremos tê-lo também em vez de pensar naquilo que realmente nos motiva, que realmente queremos e de que precisamos.
Reflexão Dirigida:
1) O que lhe motiva profissionalmente?
2) Não se compare com ninguém e nem se sinta menos que ninguém.
3) Que possamos aprender a nos olhar como Deus nos olha.

6 de Fevereiro - Comparações...

“Deus é a minha fortaleza e a minha força, e Ele perfeitamente desembaraça o meu caminho” 2 Samuel 22:33
Não se compare com os outros, faça o melhor que estiver ao seu alcance, procurando sempre progredir. Dois amigos de infância, Ken e Alan, escolheram carreiras diferentes. Alan é assistente social e ajuda a resolver conflitos familiares. Ken presta consultoria na área de informática, tem sua própria empresa e é riquíssimo. Alan adorava seu trabalho e sentia-se  muito bem pensando no efeito que causava nas famílias com que trabalhava. Mas, vendo Ken o sucesso da empresa de Alan e sua fortuna crescente, começou a se questionar acerca de suas escolhas. Por que ele não tinha o mesmo sucesso de Ken? A verdade é que Alan não “queria” o sucesso de Ken. Se quisesse, teria tomado outro rumo em vez de seguir sua vocação. É claro que, em uma sociedade que mede o valor das pessoas pela riqueza e fama, é difícil ficar imune ao destaque dos outros... (continua amanhã). 

04 fevereiro, 2012

3 de Fevereiro - Impacto Espiritual - Parte II

“Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente” Marcos 10:45
(Continuação de ontem...) Em um leprosário da Índia, Pierre encontrou pacientes em piores condições que seus primeiros mendigos. Ao retornar a França, ele mobilizou os mendigos para construir uma ala para os leprosos, num hospital da Índia. Aos pacientes agradecidos, ele disse: “Foram vocês que nos salvaram. Nós temos que servir, senão morreremos” (Nosso Andar Diário). E nós o que temos feito para aliviar a dor de tantos que sofrem? Como temos contribuído para a construção de um mundo melhor? Não precisamos ir muito longe, basta olharmos ao nosso redor.
Reflexão Dirigida:
1) Que possamos oferecer ajuda sem que precisem nos pedir.
2) É possível levarmos esperança e fé a todos à nossa volta.
3) Deus manifesta Seu amor através de pessoas como eu e você.

2 de Fevereiro - Impacto Espiritual

“Então os bons perguntarão: Senhor, quando foi que vimos o Senhor doente ou na cadeia e fomos visitá-lo? Quando vocês fizeram isso ao mais humilde dos meus irmãos, foi a mim que fizeram” Jesus (Mateus 25:42)
Pierre foi um Francês memorável que serviu ao Parlamento até ficar desiludido com a lentidão das mudanças na política. Durante um inverno rigoroso, muitos mendigos parisienses morreram congelados. Muito tocado por isso, Pierre tornou-se frade para trabalhar com os mendigos e organizá-los. Eles se dividiram em grupos para vasculhar a cidade à procura de garrafas. Depois, Pierre os liderou na construção de um depósito a partir de tijolos que haviam sido descartados, e iniciou um negócio de processamento das garrafas. Finalmente, deu a cada mendigo a responsabilidade de ajudar alguém que fosse mais pobre. O projeto vingou. Em poucos anos foi fundada a organização de caridade Emaús. Com o tempo existiam apenas alguns mendigos em Paris, por isso Pierre foi para a Índia. “Se eu não encontrar pessoas em piores condições que meus mendigos, este movimento pode perder sua finalidade”, dizia ele. “Eles podem se tornar uma organização rica e poderosa, e todo o impacto espiritual estará perdido. Eles não terão ninguém a quem servir...” (continua amanhã).

1 de Fevereiro - Recomeçar

“E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas”. Apocalipse 21:5
É tempo de esperança! Hora de abrir o coração e acolher com alegria 2012. Renovar os sonhos, fazer novos planos, traçar metas e colocarmos em prática as lições aprendidas no ano que passou. É hora de pensarmos em fazer algo novo! Pararmos de adiar, vencermos nossos receios e nos lançarmos em novas direções. Seria fazer o curso que tanto deseja, ou tomar uma decisão que está adiando? Aproximar-se de Deus? Ou até mesmo fazer as pazes com Deus? Talvez se permitir voltar a sonhar, ou ajustar seus sonhos para sua realidade atual? Fazer algo diferente por você mesma e se unir à massa de pessoas que de alguma forma estão se mobilizando para construírem um mundo melhor. Há muito por fazer, portanto mãos à obra! Não desperdice mais seu tempo contando o que deu errado, decida-se a utilizar com sabedoria o tesouro que está recebendo, ou seja, a oportunidade de ter novamente a chance de recomeçar.
Reflexão Dirigida:
1) Somente fazendo algo diferente obteremos resultados diferentes.
2) Valorize a oportunidade de estar com vida e saúde para viver um novo ano.
3) Que em 2012 tomemos a decisão de investir mais em nossa vida espiritual.

Janeiro 2012

31 de Dezembro - Bem Vindo 2012!

30 de Dezembro - Gratidão

“Agradeço a Cristo Jesus, o nosso Senhor, que me tem dado forças para cumprir a minha missão” 1 Timóteo  1:12
É tempo de agradecer! Tempo de dizer: “Muito Obrigado Deus”  pelo ano que está se encerrando e por todas as oportunidades que tivemos ao longo dessa jornada. Rimos, choramos, ganhamos, perdemos, avançamos, amamos, enfim, vivemos. “Obrigado Deus”  pelos amigos que caminharam conosco esse ano; pelas pessoas que amamos e que permaneceram ao nosso lado; pela força que nos destes em cada situação de dor e angústia que enfrentamos esse ano. “Obrigado Deus”, por todas as vezes em que os teus anjos nos livraram de acidentes, roubos, violência e morte. “Obrigado Deus”  por cada verdade que nos foi revelada, por mais amarga que tenha sido, pois ela nos libertou da mentira e do engano. Queremos te agradecer, não somente com palavras, mas com e ações. Que o Teu amor possa fluir através de nós, para consolar, amparar e amar incondicionalmente os nossos irmãos.
Reflexão dirigida:
1) Quais foram as lições que aprendemos no ano que está se encerrando?
2) Que a gratidão esteja em nossos corações por mais um ano vivido.
3) Obrigado Deus por tudo o que vivemos em 2011 que nos fez crescer.

29 de Dezembro - Escolher...

“Vocês não devem se queixar como fizeram alguns deles, e por isso foram destruídos pelo maligno” 1 Coríntios 10:10
Jeremy Taylor foi um religioso britânico, do século 17, severamente perseguido por causa da sua fé. Mas embora sua casa tenha sido saqueada, sua família empobrecida e a sua propriedade confiscada, ele continuou a contar as bênçãos que não podia perder. Ele escreveu: “Eles não me tiraram o meu semblante feliz, meu espírito alegre e uma boa consciência; ainda me deixaram com a provisão de Deus e todas as suas promessas... minhas esperanças do Céu e também meu carinho por eles e eu ainda durmo e tenho digestão, como e bebo, leio e medito. E aquele que tem tão grandes motivos de alegria, nunca deveria reclamar”. Embora talvez não estejamos sendo afligidos com as dolorosas dificuldades que Jeremy suportou, todos nós enfrentamos provações e problemas. Podemos fazer a boa escolha: silenciar ao invés de reclamar; louvar ao invés de nos queixar e contar as nossas bênçãos ao invés de murmurar.
Reflexão Dirigida:
1) Qual tem sido a sua escolha? Agradecer ou Reclamar?
2) A reclamação nos enfraquece e nos dificulta o caminhar.
3) Nos apeguemos a Deus, e venceremos dores e desafios.

28 de Dezembro - Tóxico Espiritual

“Sem lenha o fogo se apaga; sem fofocas a briga  acaba” Provérbios 26:20
Uma estratégia diferente e inovadora contra a maledicência, foi colocada em prática por uma empresa cristã voltada para a área de entretenimento. Ao invés de criticar gente famosa que se mete em encrencas por causa de más escolhas, eles encorajam seus funcionários e outras pessoas a orarem pelos famosos. Outra empresa decidiu eliminar a maledicência  e tornar-se “área livre de fofocas”. Eles passaram a exigir que seus empregados nunca falem mal de seus colegas pelas costas. Se alguém é pego fazendo isso, é demitido. A cada dia, mais pessoas se conscientizam de que longe de ser algo inofensivo, a fofoca intoxica espiritualmente ambientes e pessoas.  Com a maturidade  espiritual, passamos a compreender  que,  tanto a fofoca como a maledicência abrem portas para o mal entrar, e que o melhor a fazer quando nos deparamos com pessoas que as alimentam, é silenciar e nos afastar.
Reflexão Dirigida:
1) Ore neutralizando as palavras das pessoas que falam mal de você.
2) A maledicência pode provocar danos que estamos longe de imaginar.
3) Que nossos lábios sejam usados por Deus para abençoar pessoas.

27 de Dezembro - Auto Respeito

“Pois cuidamos do que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens” 2 Coríntios 8:21
Depois do episódio final de “Sobrevivente: África” em 2002, o apresentador do programa disse que o vencedor ganhou principalmente porque permaneceu fiel aos seus princípios. Mais tarde, o campeão explicou que queria ganhar e ao mesmo tempo manter a “dignidade e o auto respeito”. Ele comentou que não é preciso mentir, enganar ou ser desonesto para vencer. É possível ser competitivo, mas ainda assim sincero e honesto, (Nosso Andar Diário). Sob que valores morais temos conduzido nossas vidas? Qual exemplo de integridade temos dado aos nossos filhos e às pessoas à nossa volta? Muitos vivem pautando a vida no “vale tudo para vencer” e se esquecem do alto preço que terão que pagar por isso. Aquilo que fazemos, mais dia menos dia, voltará para nós de uma forma ou de outra. O mundo necessita de pessoas íntegras, que permaneçam fiéis aos seus valores e princípios morais.
Reflexão Dirigida:
1) Ensinamos integridade sendo íntegros.
2) E você? Tem sido fiel aos seus valores?
3) Não são palavras e sim atitudes é que expressam quem somos.

01 fevereiro, 2012

26 de Dezembro - Vale a Pena?

“A estrada em que caminham as pessoas direitas é como a luz da aurora, que brilha cada vez mais até ser dia claro” Provérbios 4:18
“Quando entrei com o carro naquela lavagem automática, não percebi que meu pneu esquerdo dianteiro não estava devidamente alinhado com o trilho. Começou a lavagem, mas o meu carro não se movia e por isso acelerei. Isso fez com que o pneu pulasse fora do trilho. Então fiquei emperrada. Não podia mover-me nem para a frente nem para trás. A lavagem automática continuou seguindo seu ciclo, sem o meu carro. Ufa, foi um alívio quando dois empregados do posto me ajudaram a colocar meu carro de volta sobre o trilho” (AMC). O mesmo pode acontecer conosco: podemos sair do trilho, ao permitir que pessoas e/ou situações nos tirem do nosso “centro de equilíbrio”. Perguntemo-nos com frequência: “Vale a pena eu me aborrecer por isso?”  Na  maioria das vezes responderemos “Não”! Portanto, se estivermos atentos, poderemos escolher se permitiremos ou não que algo ou alguém nos tire do trilho.
Reflexão Dirigida:
1) A paz interior é um tesouro que devemos guardar cuidadosamente.
2) Não deixe que as trevas apague a luz e o brilho do seu dia.
3) Não permita que ninguém lhe roube a alegria e a esperança.