09 novembro, 2011

01 de Novembro - Perfeição de Deus IV


  “Aquele que vive no amor vive unido com Deus, e Deus vive unido com ele” 1 João 4:16
Então todo mundo começou a gritar: “Corre para a primeira base, corre para a primeira!” Nunca na sua vida ele tinha corrido, mas, saiu disparado para a linha base com os olhos arregalados e assustado. O jogador da direita entendeu as intenções do lançador e fez igual lançando para a terceira base. Todo mundo novamente gritou: “Corre para a 2ª Pedro, corre para a 2ª base”. Quando Pedro alcançou a 2ª base todos então o colocaram em direção à 3ª base e ambas as equipes correram atrás dele gritando: “Pedro corre para a base principal!” Quando Pedro pisou na base principal todos os 18 meninos o ergueram nos ombros fazendo dele o “Herói”, como se ele tivesse vencido o campeonato e ganho o jogo para a equipe dele”. Naquele dia, disse o pai com lágrimas caindo sobre a face, “aqueles 18 meninos alcançaram a perfeição de Deus. Eu nunca tinha visto um sorriso tão lindo no rosto do meu filho!” (Mensagens que Edificam)
Reflexão Dirigida:
1) Como a perfeição de Deus se manifesta através de suas reações?
2) Deixe que o amor expanda em seu coração e ame incondicionalmente.
3) À medida que nos relacionamos com Deus aprendemos a amar mais e melhor.

31 de Outubro - Perfeição de Deus III

“O amor de Deus enche completamente o nosso coração” 1 João 4:12
(Continuação 28/10) No final da 9ª rodada, a equipe de Pedro marcou novamente e a próxima seria a rodada decisiva. Pedro foi escalado para continuar, entretanto, uma questão porém veio à minha mente: - a equipe deixaria Pedro de fato, rebater nesta circunstância e jogar fora a possibilidade de ganhar o jogo? Surpreendentemente foi dado o bastão a Pedro. Todo mundo sabia que isto seria quase impossível, porque ele nem mesmo sabia segurar o bastão. Porém, quando Pedro tomou posição, o lançador se moveu alguns passos para arremessar a bola de modo que Pedro pudesse ao menos rebater, o que não aconteceu. Vendo isso, um dos companheiros da sua equipe foi até ele e juntos seguraram o bastão. Novamente o lançador deus alguns passos para trás e lançou a bola de forma lenta, e juntos eles rebateram a bola. O lançador apanhou a suave bola e poderia tê-la jogado facilmente para o primeiro homem da base, Pedro estaria fora e isso terminaria o jogo. Ao invés disso ele lançou a bola bem alto, longe e em curva, distante do alcance do 1º homem da base... (continua amanhã).

28 de Outubro - Perfeição de Deus II

“Se nos amamos uns aos outros, Deus vive unido conosco” 1 João 4:12
(Continuação 27/10) Uma tarde, Pedro e eu caminhávamos pelo parque onde alguns meninos que o conheciam estavam jogando beisebol. Pedro perguntou-me: - Pai, você acha que eles me deixariam jogar? Eu sabia das limitações do meu filho e que a maioria dos meninos não o queria na equipe. Mas entendi, que se Pedro pudesse jogar com eles, isto lhe daria uma confortável sensação de participação. Aproximei-me de um dos meninos no campo e perguntei-lhe se Pedro poderia jogar. O menino deu uma olhada ao redor, buscando a aprovação de seus companheiros de equipe e mesmo não conseguindo nenhuma aprovação, ele assumiu a responsabilidade e disse: - Nós estamos perdendo por 6 rodadas e o jogo está na oitava. Acho que ele pode entrar na nossa equipe e tentaremos colocá-lo para bater até a nona rodada. Fiquei admirado quando Pedro abriu um grande sorriso ao ouvir a resposta do menino. Pediram então que ele colocasse a luva e fosse para o campo jogar. No final da oitava rodada, a equipe de Pedro marcou mais alguns pontos, mas, ainda estava perdendo por 3...(continua amanhã).

27 de Outubro - Perfeição de Deus I

 “Sejam perfeitos, assim como é perfeito o Pai de vocês que está no céu” Jesus (Mateus 5:48)
Em um bairro da cidade de Nova York chamado Brooklyn, a Escola Chush se dedica ao ensino de crianças especiais. Algumas crianças permanecem ali por toda a vida escolar, enquanto outras podem ser encaminhadas para uma escola comum. Num jantar beneficente da escola, o pai de uma criança fez um discurso que nunca mais seria esquecido pelos que ali estavam presentes. Depois de elogiar a escola e seus dedicados funcionários, perguntou: “Onde está a perfeição do meu filho Pedro se tudo o que Deus faz é feito com perfeição? Meu filho não pode entender as coisas como outras crianças entendem. Meu filho não pode se lembrar de fatos e números como as outras crianças. Então, onde está a perfeição de Deus?” Todos ficaram chocados com a pergunta e o sofrimento daquele pai, mas, ele continuava: “Acredito que quando Deus traz uma criança especial ao mundo, a perfeição que Ele busca está no modo como as pessoas reagem diante desta criança...”(continua amanhã).