30 junho, 2011

21 de Junho - Diálogo

“Não aguento mais; preciso desabafar” Jó 32:20
O conhecido médico Dráuzio Varella ao falar sobre a arte de não adoecer enfatiza a importância dos nossos sentimentos: “Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam gerando doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então o melhor caminho é desabafar, confidenciar, partilhar nossos “segredos”, receios e enganos. O diálogo, a fala, a palavra é um poderoso remédio e excelente terapia. Nada pode ser pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. Quem esconde a realidade do que está sentindo, querendo sempre dar a impressão de que está bem, acumula toneladas de peso emocional, assemelhando-se a uma estátua de bronze, que tem os pés de barro. Não sejamos alguém com muito verniz e pouca raiz, sejamos verdadeiros”.
Reflexão dirigida:
1) Não precisamos ser perfeitos, e sim verdadeiros.
2) Coloquemos diante de Deus nossos reais sentimentos.
3) Deus nos dá condições de livrar-nos de nossas máscaras.

28 junho, 2011

17 de Junho - Livramento

“O Senhor te guiará continuamente” Isaías 58:11
Eu me preparava para viajar para o interior a fim de visitar antigas amigas muito queridas,  que haviam perdido o pai de maneira inesperada e violenta. Eu iria de ônibus na manhã do dia seguinte. Fui orar pedindo a Deus que me desse forças e que eu pudesse levar o Seu consolo em meio a tanta dor. Qual não foi minha surpresa quando a direção de Deus foi para que eu viajasse sim, só que para outro lugar. Fiquei tão impactada, que decidi fazer mais orações ao longo do dia, pedindo confirmação de Deus. Mas, Deus continuava dando a mesma orientação. Mudei meus planos e dois dias depois embarquei num ônibus para o Paraná. Eu não sabia o que eu iria fazer no Paraná, mas a resposta de Deus foi tão clara, que não tinha como não obedecer. Eu pensava: “Se Deus está me mandando ir para Curitiba, ao invés de Bauru, onde havia acontecido uma morte e toda a família estava tão abalada, é porque havia algo mais urgente acontecendo em Curitiba...” (continua amanhã).

16 de Junho - O Nó do Afeto II

“Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai de vocês que está no céu, dará coisas boas aos que lhe pedirem” Mateus 7:9  
                                                     
“E, para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia, religiosamente, todas as noites quando ia beijá-lo. Quando o filho acordava e via o nó, sabia, através dele, que o pai tinha estado ali e o havia beijado. O nó era o meio de comunicação entre eles. A diretora ficou emocionada com aquela história singela e emocionante. E ficou surpresa quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola” (autor desconhecido). Existem muitas maneiras de um pai ou uma mãe se fazerem presentes. Aquele pai encontrou a sua, simples, mas eficiente. E o mais importante é que o filho percebia, através do nó do afeto, o que o pai estava lhe dizendo. Para que haja a comunicação, é preciso que os filhos “ouçam” a linguagem do nosso coração. A criança pode não entender o significado de muitas palavras, mas sabe registrar um gesto de amor. Mesmo que esse gesto seja apenas um nó. Um nó cheio de afeto e carinho.
Reflexão Dirigida:
1) O amor de Deus para conosco é de pai para filho.
2) Deus nos inspira em como manifestar nosso amor.
3) Nossos gestos transmitem muito mais do que imaginamos.

15 de Junho - O Nó do Afeto

“Que tudo o que vocês fizerem seja feito com amor” 1 Coríntios 16:14
“Em uma reunião de Pais, numa Escola da periferia, a diretora ressaltava o apoio que os pais devem dar aos filhos. Pedia-lhes, também, que se fizessem presentes o máximo de tempo possível. Ela entendia que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhasse fora, deveriam achar um tempinho para se dedicar a entender as crianças. Mas a diretora ficou muito surpresa quando um pai se levantou e explicou, com seu jeito humilde, que ele não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo durante a semana. Quando ele saía para trabalhar, era muito cedo e o filho ainda estava dormindo. Quando ele voltava do serviço era muito tarde e o garoto não estava acordado. Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para prover o sustento da família. Mas ele contou, também, que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava se redimir indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa...” (continua amanhã).

27 junho, 2011

14 de Junho - Segurança

“Pois o Senhor Deus lhe dará segurança” Provérbios 3:26
Sabe quando encontramos nos cantos de paredes ou móveis, teias de aranha quase invisíveis? Para a aranha ela é segura e firme, mas basta que as toquemos com a vassoura para que se desfaçam. Lá se foi a segurança da aranha, ela terá que construir outra teia de novo, para capturar seu alimento. Quando vivemos como se Deus não existisse, tal qual a aranha, colocamos nossa segurança em teias que construímos e julgamos serem indestrutíveis. Porém, é comum vermos, pessoas que jamais pensaram perder o emprego, serem demitidas; outros que apostavam tudo em relacionamentos, vivendo separações; e pessoas dizendo: “Jamais eu pensei que isso pudesse acontecer comigo”! Essas mesmas coisas acontecem com aqueles que acreditam em Deus, porém, a diferença está na força, consolo, coragem e esperança que são revestidos, todos que caminham com Ele.
Reflexão Dirigida:
1) Deus está conosco quando ninguém mais pode estar.
2) Como você enfrenta as provações do caminho?
3) Caminhar com Deus é uma escolha pessoal e instranferível.

15 junho, 2011

9 de Junho - Convite

“Deus se apiedou dele, e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza” Filipenses 2:27 
“Se você for uma das milhares de pessoas que sofrem de depressão, ansiedade, nervosismo, irritação, solidão, medo, insegurança e outras emoções torturantes; se você for incapaz de agir normalmente, existe uma ajuda para você, mesmo que tudo mais possa ter falhado. Falamos por experiência própria, pois já passamos pelo mesmo sofrimento - experimentamos a tortura emocional - e encontramos uma saída. Gostaríamos de oferecer-lhe essa saída, para que você também possa recuperar-se da doença emocional e mental e encontrar a vida maravilhosa, plena, rica e feliz que nós já encontramos. Venha conhecer Neuróticos Anônimos. Não usamos a palavra “neurótico” em seu sentido científico. Para nós “neurótica” é qualquer pessoa cujas emoções interferem em seu comportamento, de qualquer forma e em qualquer grau, segundo ela mesma reconheça“ (Neuróticos Anônimos).
Reflexão dirigida:
1) Os grupos anônimos são um presente de Deus para o mundo.
2) Não fique sozinho com a sua dor, participe de um grupo.
3) Endereço Reuniões: www.neuroticosanonimos.org.br/‎

07 junho, 2011

02 de Junho - Símbolo de Vida

“Por que vocês estão procurando entre os mortos quem está vivo? Ele não está aqui, mas foi ressuscitado”Lucas 24:5
“Era véspera de Semana Santa, e uma professora cristã pediu a seus alunos que saíssem ao jardim da escola e trouxessem dali algo que fosse um símbolo da vida. Para isso, deu a cada aluno uma pequena caixa, a fim de que colocassem dentro dela o que trariam. Um momento mais tarde, voltaram à sala de aula para mostrar o que tinham juntado. Numa caixinha havia flores, em outra havia folhas e em outra até uma borboleta – todos bons símbolos de vida. Mas curiosamente, uma das caixinhas estava vazia, diante do que as crianças riam. De quem era essa caixinha? Era do colega que tinha Síndrome de Down. Ele explicou que sua caixinha estava vazia porque representava o túmulo vazio de Jesus, que tinha vencido a morte. Era um símbolo perfeito da vida! A professora o parabenizou por isso. A partir de então, o menino ganhou o respeito de todos os colegas” (Enrique Chaij, Ainda Existe Esperança).
Reflexão Dirigida:
1) Qual o sentido da vida para você?
2) Para você qual é o símbolo perfeito da vida?
3) Para o cristão a morte é o início de uma nova vida.

01 de Junho - Nosso Tempo

“Estejam alertas e fiquem vigiando porque o inimigo de vocês, o maligno, anda por aí como um leão que ruge, procurando alguém para devorar” 1 Pedro 5:8
“Não podemos impedir os cristãos de irem à Igreja. Não podemos impedi-los de ler as suas Bíblias e nem de conhecerem a verdade. Não podemos impedi-los de formar um relacionamento íntimo com o seu Salvador. E, uma vez que eles ganhem essa conexão com Jesus o nosso poder sobre eles está quebrado. Mas, podemos sim, roubar-lhes o tempo para desenvolverem esse relacionamento com Jesus Cristo. O que quero que façam é o seguinte - diz o chefão: Distrai-os a ponto de não conseguirem aproximar-se do seu Salvador. Inventem inumeráveis assuntos e situações que ocupem as suas mentes. Tragam tentações às suas vidas que os levem a gastar, gastar e tomarem dinheiro emprestado, várias vezes, para assim terem que trabalhar cada vez mais, e não terem nenhum tempo para os filhos, deixando-os livres para nós". Dito isso, o maligno e seu exército, saíram pela terra a fora, a fim de cumprirem seus objetivos.
Reflexão dirigida:
1) Cuidemos para utilizar o nosso tempo com sabedoria.
2) Que nada seja mais importante do que Deus em nossa vida.
3) Vigiemos para não perder tempo com o que não é essencial.

06 junho, 2011

31 de Maio - Obrigado Jesus!

“Porque Eu, o Senhor Teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, que eu te ajudo” Isaías 41:13
Nos anos 70 a famosa dupla americana “Simon & Garfunkel” lançou a música “Bridge Over Troubled Water” (Ponte Sobre Águas Turbulentas), que fez um sucesso espetacular. A melodia é linda, e a tradução da letra, nos mostra o quão especial essa música é: “Quando você estiver cansada, se sentindo pequena...Quando as lágrimas estiverem em seus olhos, eu as secarei todas... estarei do seu lado. Quando o tempo estiver ruim, quando os amigos simplesmente sumirem... Como uma ponte sobre águas turbulentas eu me abaixarei para você! Quando você estiver para baixo e deslocada, quando você estiver na rua...Quando tudo desmoronar, eu irei confortar você, eu vou carregar a sua parte. Quando vier a escuridão e quando a dor tomar conta de você... Como uma ponte sobre águas turbulentas eu me abaixarei para você! Eu serei alívio para você”.
Reflexão dirigida:
1) Jesus se faz ponte ao atravessarmos águas turbulentas.
2) Quando todos se afastam de nós Jesus permanece conosco.
3) O que seria de nós se Jesus não tivesse vindo até a terra?